Contador grátis

terça-feira, 10 de março de 2009

Onde está a felicidade?

Para o filósofo grego Epicuro (341-270 a.C.), obter a felicidade seria possível ao conquistarmos três coisas: amigos, liberdade e uma vida bem analisada.
O filósofo Diógenes, na Grécia no ano de 120 d.C., ordenou a construção de um paredão, no qual foram feitas inscrições da filosofia de Epicuro sobre a felicidade. Esse paredão estava próximo a um mercado, com letras vermelhas para lembrar as pessoas constantemente as coisas que realmente traziam a felicidade.
Para muitas pessoas na atualidade, a felicidade é poder comprar coisas: casa, carros, jóias, perfumes, etc. A partir daí, como poderíamos explicar a infelicidade de pessoas que podem comprar tudo ou a felicidade das pessoas que não podem comprar tudo?
A resposta está na fórmula de Epicuro, afinal, nenhum dos três ingredientes necessários para a felicidade estão a venda, ou seja, qualquer um pode obtê-los.
Pessoas que possuem o básico para sobreviver podem atingir melhores níveis de felicidade do que as pessoas mais abastadas.
Hoje em dia ao andarmos em um shopping Center, nos deparamos com centenas de mensagens publicitárias vendendo inúmeros produtos para preencherem nosso vazio interior, e que prometem trazer os verdadeiros ingredientes da felicidade: amigos, liberdade e ter uma vida bem analisada.
São poucas as oportunidades que temos para lidar com a filosofia no dia a dia. Que tal lembrarmos do paredão da felicidade antes de nos dirigirmos para o shopping mais próximo?
Que tal analisar sua vida, perceber sua liberdade, seus amigos e descobrir que não precisamos só de poderes aquisitivos para sermos felizes. Descobrir que a felicidade não está na vitrine das lojas, e sim nas pessoas, e dentro de nós mesmos. Usar a filosofia como um escudo contra o consumismo estimulado pelos excessos da publicidade. Resgatar hábitos de Epicuro: escolher companhias para as refeições é mais importante do que escolher o que comer, pois, segundo Epicuro, comer sozinho era hábito para lobos e leões. Outro hábito dele era a simplicidade de suas roupas e refeições, coisas que nos mostram na prática como é possível ser feliz com poucas coisas materiais, desde que tenhamos liberdade, amigos e condições para analisar a vida e assim diminuir a ansiedade diante do futuro.

Um comentário:

cayres_alexandra disse...

Que saudades das aulas da Tati!
A busca pela felicidade talvez faça parte da filosofia organizacional de cada ser,talvez o erro seja depositar as espectativas na linha de chegada, deixando de viver o percurso (o presente),mas na vida tudo é aprendizado,tudo se torna novas oportunidades de chegar onde se almeja.
Que sua semana seja plenamente abençoada!

Ocorreu um erro neste gadget

Which Grey's Anatomy Character Are You?