Contador grátis

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Os cocos verdes, a vida, os dias...

Esse ano inseri a água de coco quase como uma bebida diária. Evito refrigerante e só compro em casa quando vem visita. Se estiver em algum lugar e for a única opção posso tomar alguns goles. Faz anos que não bebo café, nem Coca Cola. Comprei uma Coca do rótulo verde e tomei um gole de curiosidade. 
Saindo da Coca e voltando aos cocos verdes, estes são pesados, fazem volume, comprar mais de um na quitanda da rua de cima equivale a um leve exercício físico para os braços, sem contar o ato de abrir...
Como o coco verde parece com a vida! As vezes simples, mas a gente complica até encontrar jeitos de descomplicar. No começo comprei um fura coco, usava facão para cortar um pedaço antes de usar o furador, mas hoje o jeito mais fácil é tirar o cabinho e abrir um buraquinho com uma faca pequena e de ponta afiada. Alguns são mais macios e a água aparece com a primeira facada. Outros precisam de furos mais profundos e mais facadas até libertar o precioso líquido.
Tem coco que vem 350 ml, outros 600 ml, mas a média é 400 ml. Tem uns mais doces, outros menos. E tudo isso a gente só descobre depois que consegue abrir, e depois que prova o primeiro gole.
Dizem que quem vê cara não vê coração. Poderiam dizer quem vê coco não sabe quão doce ou quanta água tem.
Por fora todos os cocos parecem verdes e iguais. Assim como os dias, alguns foram mais doces, outros não. Alguns tinham mais coisas para aproveitar, outros não. Alguns mais fáceis de lidar, outros não. E a gente só vai saber vivendo, abrindo cada um deles, um dia de cada vez, sem se cansar tentando adivinhar antes...

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Which Grey's Anatomy Character Are You?